domingo , março 26 2017

Tem tudo e não falta nada Na feira de Santa Cruz

No mercado, um açougueiro Carrega a perna de um touro, Chapéu de bola de couro No quengo de um cabeceiro, Um misto velho brejeiro Com um pingente de Jesus, Um caçoar de pitus Pra vender numa calçada; Tem tudo e não falta nada Na feira de Santa Cruz (Hélio Crisanto) Tem cigano marreteiro Doido pra pegar otário Do caminhão do horário Desce um bêbado arruaceiro; Na banca do manganheiro Se avista dois urus Um está cheio de umbus E no outro, manga espada Tem tudo e não falta nada Na feira de Santa Cruz. (Léo Medeiros) Mote: Hélio Crisanto

Leia Mais

"Vejo o espelho cruel da minha sorte Refletindo a beleza do passado."

Vejo marcas profundas no meu peito Que o espelho da vida me reflete Não existe momento que repete Tudo aquilo que um dia já foi feito A metade de um sonho foi desfeito Com a outra metade foi levado O meu ser que não foi cicatrizado Chora em dor quando lhe machucam o corte "Vejo o espelho cruel da minha sorte Refletindo a beleza do passado." Mote: Severina Branca Glosa: Dayane Rocha

Leia Mais

Bela poesia pra começar a semana: Joia Rara

Eu, garimpando um amor Pra enricar meu coração, Vi a jóia de valor Nas jazida do Sertão. E eu peguei ela pra mim Porque jóia rara assim, Qualquer um sonha em ter dela, Pois se for oiá dereito, Ela é tão rara de um jeito, Que existe somente ela. Essa jóia é deferente Das jóia do mundo intêro. Ela é gente e sendo gente, Pra comprar, não hai dinhêro. Minha jóia é meu benzinho Que me enrica de carinho Quando agente se namora… Jóia pura e dilicada, Não essas jóia banhada, Que é bonita só pui fora! Deus que fez e eu achei, Pense numa sorte a minha. E a danada ainda vêi Toda lapidadazinha: Honesta, séria, educada, Cabôca toda prendada, Era tudo o que eu queria. Jóia rara, meiga …

Leia Mais

Tanto tempo já faz que não te vejo, Que a saudade batendo me maltrata.

Se eu pudesse me auto transportar Junto a te mais que lépido eu estaria E não mais tanto assim eu sofreria Pois iria urgente te encontrar Uma formar eu ainda ei de achar E encurtar viu distancia e tão ingrata Que me impede de dizer em serenata Meu querer-te, meu te amar e o desejo. Tanto tempo já faz que não te vejo, Que a saudade batendo me maltrata. Mote: Pedro Torres Glosa: Oliveira do Cordel Valdir Oliveira “Oliveira do Cordel” © Direitos Reservados

Leia Mais

"Quer saber quanto custa uma saudade Tenha amor, queira bem e viva ausente!"

Dez carinhos no ponto bem passado Duas partes de amor e de ternura Confiança na dose bem mais pura Tudo junto no abraço misturado Nos cabelos por dedos penteado Cafuné que se assanha sem ter pente Mexa tudo num beijo muito ardente E ‘descanse’ depois toda a vontade… "Quer saber quanto custa uma saudade Tenha amor, queira bem e viva ausente!" Pedro Torres

Leia Mais

Poesia de Hugo Araújo: Sua opinião sobre a união de pessoas do mesmo sexo

O poeta pernambucano Hugo Araújo, aproveitou o tema tão falado nos últimos dias e escreveu uns versos maravilhosos que descrevem a sua opinião sobre a união de pessoas do mesmo sexo. O vate e médico de Arcoverde intitulou a obra de OPINIÃO. Aposto que os leitores do RN em Rede irão adorar os versos cheios de humor e veracidade. Vejamos abaixo: A natureza precisa Manter a procriação Boi com boi, vaca com vaca Isso não é certo não Tem quem ser um masculino Junto com um feminino Para aumentar a nação… Eu não quero ser careta Mas quero ser respeitado Com coisa que não concordo Eu não sei ficar calado Quem quiser ser diferente Sem poder plantar semente Tem que pensar um bocado Se a historia continua Homem com homem …

Leia Mais

O batente da casa dos meus pais – Wellington Vicente

Como sempre o poeta pernambucano Wellington Vicente é incrível ao relatar nesses maravilhosos versos o que é pisar no batente da casa dos pais depois de um tempo distante da terrinha que o viu nascer e crescer. Somente quem arredou os pés de casa e ganhou o oco do mundo sabe a grandeza do versos desse poeta, filho de Zé Vicente da Paraíba, primeiro cantador de viola a gravar um LP no Brasil e acredito que no mundo. Wellington oferece aos seus pais Zé Vicente da Paraíba (in memoriam) e Enedina Maurício. Depois de alguns janeiros Longe da casa paterna Numa condução moderna Fui visitar os terreiros Onde os meus passos primeiros Imprimiram as digitais, Mas os antigos sinais Só estavam em minha mente. Quando cruzei o batente Da casinha …

Leia Mais

"E distante um do outro hoje vivemos Foi louvável, mas, pra nós não há mais jeito"

Já risquei cada traço dessa linha Do cenário que havíamos de compor foi bonito e gigante o nosso amor Mas, seu brilho perdeu a luz que tinha Por saudade, se tens, não é mais a minha Não provocas mais dor nesse meu peito Nossa história foi linda e deu defeito Por orgulho, vaidade e o que dissemos "E distante um do outro hoje vivemos Foi louvável, mas, pra nós não há mais jeito" Glosa: Pedro Torres Mote: Jânio Leite

Leia Mais

Poemas vencedores do Concurso de Poesia Suetônia Batista

Poemas vencedores do Concurso de Poesia Suetônia Batista, realizado pelo Casarão de Poesia: NÍVEL FUNDAMENTAL AI MEU DEUS! Como é a vida? A vida é como a televisão Quando se está velho Fica sem sinal! Jéssica Viviane Ensino Fundamental Escola Estadual Tristão de Barros O SERTÃO Quando chove bem cedinho Os sertanejos vão pra roça Eles matam a saudade E vão andando de carroça. O açude está secando Os sertanejos vão logo aproveitando Pegando suas sementes E o solo ajeitando. O meu sertão é bonito Tem de tudo que é belo Tem cactos e cabrito E o homem de chinelo. Nosso sertão se acabou Nem milho ninguém vê mais Canjica que era bom Ficou tudo para trás. Quem duvidar é um louco Isso até merece aposta O agricultor é do …

Leia Mais

Belo soneto do reverendo Brás Ivan – Minha tudo! São José do Egito.

Cada verso que faço é para ti Como eram pra ti os que não fiz Cada frase poética que desfiz Era tua na hora que escrevi. É assim desde o dia em que te vi Aprendi a sofrer sendo feliz Quando fujo de ti meu peito diz Quanto ingrato eu fui quando fugi. Nunca mais fiz um verso que prestasse Quando faço uma rima é só disfarce Escondendo a saudade do meu grito Pois sem ti o meu verso é só metade Sem te ver,musa mãe, mulher cidade Minha tudo! São José do Egito. Brás Ivan Costa Santos Foto: www.panoramio.com

Leia Mais